Janela

da janela eu não vejo o oceano
mas um mar de pedras:
azulejos brancos
pintados de amarelo,
são quase cinco e meia

aqui vejo o bairro
e converso com o mundo
penso nas questões da quarta feira
e mais um bocado de ideias

problematizo as questões com o concreto
dps com as pessoas, penso na subjetividade das coisas

e vejo os prédios,
assisto a vida das pessoas
nas outras varandas
e quando escurece,
já são seis horas